A Criação do Herói

Fala Spiderhead, beleza? Estou aqui hoje para contá-lo a história de origem do nosso querido Teioso (e posso adiantar que a história é muito divertida), então recarregue seus lançadores de teia, vista seu uniforme e me acompanhe nessa viagem ao ponto inicial da criação do herói. 

De ideia quase descartada, para o sucesso sem limites 

A concepção do Homem-Aranha é uma história um tanto quanto curiosa, engraçada e enrolada, tendo como criador oficial Stanley Martin Lieber ou simplesmente Stan Lee e cocriador Steve Ditko, o nosso herói quase não saiu do espectro das ideias se não fosse pela insistência de seu criador principal. 

Stan Lee (à esquerda) e Steve Ditko (á direita)

A princípio, Lee havia recebido a tarefa de criar um novo herói para o diretor da Marvel na época, Martin Goodman, e começou a trabalhar nessa ideia até que um dia, em sua casa, ao olhar para a parede viu uma mosca andando sobre ela e logo teve a ideia de criar o “Homem-Mosca”, porém o nome não era impactante o suficiente, após mais algum tempo pensando chegou ao definitivo “Homem-Aranha”. Orgulhoso de sua criação, nosso saudoso Stan Lee levou sua ideia para o diretor analisar, e a resposta não foi nada encorajadora… 

Martin Goodman (Diretor da Marvel na época)

Martin Goodman pôs todo tipo de defeito possível na criação, chegando até a dizer que essa era uma das piores ideias que Stan Lee havia levado até ele e rechaçando completamente a possibilidade de dar um título próprio para o herói. Entre todos os “elogios” podemos destacar alguns: “Você não pode chamar um herói de “Homem-Aranha”, as pessoas odeiam aranhas!”, “Um adolescente não pode ser um herói, no máximo um ajudante de um herói adulto!” (O Homem-Aranha era um adolescente quando a série se iniciou), “Você não pode criar um protagonista cheio de problemas, nossos leitores irão pensar que ele não é heroico o suficiente!”, ele não podia estar mais errado. 

A perseverança de Stan Lee e o espanto do incrédulo Martin Goodman 

Naquela época havia uma série sendo publicada chamada Amazing Fantasy que estava fadada ao cancelamento e caminhava para sua última edição. Havia uma cultura de época que quando uma série estava na edição final, os editores não se importavam com o que era colocado e praticamente tudo passava para a publicação final. Stan Lee viu nisso uma oportunidade de dar luz à sua criação e colocou sorrateiramente o Cabeça de Teia na última edição da revista (datada de Agosto de 1962) e por acreditar muito em sua ideia, esperou pelo melhor. 

Os relatórios de venda demoravam um tempo para chegar pois não havia a conectividade que existe hoje graças a internet, então, alguns meses após a publicação da edição Amazing Fantasy #15 chegou um resultado que surpreendeu o boquiaberto Martin Goodman, a revista havia sido um sucesso e vendido mais que todas as edições anteriores, alavancando o Homem-Aranha a um patamar tão alto que lhe rendeu seu próprio título (algo que era dado apenas aos heróis que se destacavam). 

Homem-Aranha Primeira Aparição

O antes cético Martin Goodman chegou ao escritório de Stan Lee correndo e feliz da vida falando uma frase um tanto quanto icônica: “Stan, lembra do Homem-Aranha, aquele herói que NÓS DOIS tanto gostamos? Vamos dar um título a ele!”, Lee aceitou a proposta (e a presunção de seu chefe) imediatamente publicando assim, em Março de 1963 a edição The Amazing Spider-Man #1 com a participação do já conhecido Quarteto Fantástico

The Amazing Spider-Man #1 (Participação do Quarteto Fantástico)

Considerações Finais 

Obrigado por me acompanhar até aqui, espero que tenha se divertido com essa história de como se deu a criação do escalador de paredes mais famoso do mundo, siga-nos em nossas redes sociais, se inscreva no Formulário para receber as atualizações por e-mail e acompanhe o blog para conhecer mais do vasto mundo do Homem-Aranha e ficar por dentro das novidades relacionadas a ele, vejo você no próximo artigo.

8 comentários em “A Criação do Herói

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error

Gostou do blog ? Siga-nos nas redes sociais