Homem-Aranha vs Terrível Consertador

Fala Spiderhead, beleza? Hoje trago para vocês o confronto do Homem-Aranha contra o Terrível Consertador, ele parece frágil, mas é uma grande ameaça. Então recarregue seus lançadores de teia, vista seu uniforme e vamos juntos desvendar esse conflito. 

Sim, é a mesma capa da primeira aparição do Abutre

Ajudante de pesquisas e um rádio suspeito 

A história se inicia com o dedicado Peter Parker fazendo suas experiências na aula de Ciências enquanto ouve piadinhas de Flash Thompson e companhia, no mesmo momento, o professor de Peter aparece conversando com um senhor simpático sobre o seu melhor aluno de Ciências (advinha quem é?).  O motivo da visita daquele senhor era que ele estava precisando de um estudante para auxiliá-lo em algumas pesquisas durante os fins de semana e, como Peter Parker era o melhor de todos, ele foi indicado ao cargo. Professor Cobbwell era o nome do senhor que era considerado o maior especialista em eletrônica da cidade, isso empolgou Peter Parker em trabalhar com ele e adquirir mais conhecimento. 

O também chamado Dr. Cobbwell, dá um papel com o endereço dele para que Peter Parker o encontre em seu laboratório e pede para que o rapaz, a caminho de seu trabalho no dia seguinte, passe na oficina para pegar seu rádio que estava no conserto. Peter acata o pedido e vai para sua casa feliz da vida pela oportunidade. 

O Consertador e seus serviçais

Já no dia seguinte, Peter acorda e veste sua roupa por cima do uniforme do Homem-Aranha (nunca se sabe quando entrará em ação, né?) para ir até a oficina pegar o rádio. A princípio, o garoto estranha o nome: OFICINA ELETRÔNICA DO CONSERTADOR e espera encontrar algum “pirado” administrando o local. 

Chegando na oficina, o Consertador vai atendê-lo e se apresenta, Peter diz que foi buscar o rádio do Dr. Cobbwell e o homem esquisito vai imediatamente pegar o eletrônico, mas é lá em baixo da oficina que mora o segredo.

Peter Parker indo buscar o rádio na Oficina do Consertador

Embora o sentido aranha de Peter dispare, ele imagina que é apenas interferência dos aparelhos eletrônicos e julga que o Consertador é apenas um velhinho inofensivo. Enquanto isso, numa câmara secreta a prova de som localizada embaixo da oficina, o Consertador pede para seu serviçal que, pasmem, é um ALIENÍGENA (isso mesmo, daqueles verdes), que chegou a hora de entregar o rádio do Dr. Cobbwell, foi feito nele um conserto “especial” (seja lá o que isso for!) aonde foi colocada uma peça chamada de “dispositivo especial” (esses caras são cheios de mistérios) para que ninguém desconfie que o aparelho é mais que um simples rádio, o que mais chama atenção é que o Dr. Cobbwell não foi a única pessoa a ter seu aparelho adulterado, mas outros também passaram por lá e tiveram seus eletrônicos “grampeados”. Ao entregar o rádio para Peter, o garoto pergunta o porquê de cobrar apenas 1 dólar pelo conserto, o Consertador inventa uma desculpa e fica por isso mesmo. 

Descobrindo o plano do Consertador 

Mais tarde, no laboratório do Dr. Cobwell, Peter Parker ainda está desconfiado por alguém cobrar tão pouco por um serviço e ainda assim conseguir se manter (um valor tão baixo desse levaria qualquer um à falência), no entanto, o Doutor pede para que ele faça uma experiência e Peter começa a fazer. Durante o manuseamento dos tubos de ensaio, o sentido aranha dispara novamente deixando o garoto ainda mais desconfiado, primeiro na oficina e agora no laboratório, algo está errado. Para a sorte de todos, o Dr. Cobbwell precisou sair para dar uma palestra e Peter Parker aproveitou a deixa para vasculhar o local e descobrir o que incomoda tanto seu lado aracnídeo. Embora o rádio estivesse desligado, Peter resolve abri-lo e olhar se tem algo errado, não é necessário muito tempo para que ele encontre transístores potentes em um rádio comum, e os impulsos elétricos vinham dali mesmo com o aparelho desligado. Convencido de que havia encontrado o problema, o aplicado estudante veste seu uniforme e resolve fazer uma outra visita à Oficina do Consertador, mas dessa vez como Homem-Aranha.

Oficina fechada, alienígenas trabalhando e uma luta incomum

Em pouquíssimo tempo, o Cabeça de Teia chega até a oficina e encontra ela fechada, no entanto, isso não detém o herói que rapidamente encontra uma entrada alternativa pelo teto. Ao chegar de fato na Oficina, o Homem-Aranha sente de novo aqueles mesmos impulsos elétricos vindos do andar de baixo, ele vai descendo a escada até que encontra a famigerada câmara secreta do Consertador. 

Lá embaixo o Consertador e seus alienígenas serviçais observam por várias telas diferentes imagens de todas as pessoas que eles “grampearam” no conserto dos equipamentos e, o tal do plano era justamente saber o que as pessoas mais importantes do país faziam e seus pontos fracos e fortes para que eles pudessem atacar o planeta de uma forma ordenada. 

O Homem-Aranha observa tudo e descobre a real intenção daqueles “consertos” de baixo custo, no entanto, um dos alienígenas vê o herói e atira em sua direção, mas numa rápida ação o Homem-Aranha consegue desviar do tiro e acaba entrando de supetão na sala cheia de alienígenas e claro, seu mestre Consertador. Num embate alucinante, aonde até uma caixa de som foi arremessada no Homem-Aranha, o Consertador consegue acertar um disparo de raio da sua arma no herói e o atordoa momentaneamente. 

O Cabeça de Teia é colocado numa cela de contenção e, os alienígenas sugerem que o oxigênio da cela seja retirado (através de uns buracos da própria cela) para que o herói morra por sufocamento, no entanto, o Homem-Aranha acorda dentro da gaiola e avista o painel de controle aonde existe um botão que, se pressionado, abre a cela e o livra daquela prisão nada aconchegante. Utilizando de sua inteligência acima da média, o herói utiliza os próprios buracos da cela que estavam sendo utilizados para sugar o oxigênio para disparar sua teia na direção do botão e pressioná-lo. Após acertar, a cela abre e uma nova luta se inicia, o Homem-Aranha acerta um soco certeiro em um dos alienígenas que acaba por cair por cima de outro alienígena que estava armado, no impacto, a arma acaba disparando e acertando o painel de controle, colocando fogo no local.

Homem-Aranha se libertando da prisão disparando sua teia

Os alienígenas aproveitam a deixa para fugir do Homem-Aranha, porém, o Consertador não tem a mesma sorte e acaba por ser pego pelo herói e iniciam um pequeno embate, no entanto, o fogo e a fumaça começam a se espalhar com velocidade sufocando o Teioso que, para preservar sua vida, acaba por fugir. Enquanto tudo isso acontecia, os alienígenas foram para sua nave e sumiram do planeta, iniciando a autodestruição de todos os aparelhos que eles haviam adulterado. 

Após o nosso jovem herói retornar ao laboratório e colocar novamente sua roupa de cientista, um eufórico Dr. Cobbwell aparece contando não acreditar no que tinha visto. Segundo ele, havia avistado uma nave espacial desaparecendo na atmosfera, Peter Parker se faz de desentendido e começa a conversar com ele, no entanto, Dr. Cobbwell resolve deixar isso pra lá, pois não tinha prova nenhuma do que tinha visto e que se contasse isso todos iriam pensar que ele era só mais um cientista desequilibrado. 

A história se encerra com Peter Parker segurando a máscara do Consertador (ou seja, se o velho Consertador era um disfarce, quem era a pessoa por trás da máscara? Isso nem Peter Parker, nem eu e nem você sabe).

Peter Parker segurando a máscara do Consertador

Considerações Finais 

O que achou da história? Seria o Consertador algum vilão conhecido do Homem-Aranha disfarçado ou nunca mais foi visto? Deixe suas opiniões nos comentários. 

Muito obrigado por me acompanhar até aqui. Siga-nos em nossas redes sociais, se inscreva no Formulário para receber as notificações por e-mail e acompanhe o blog para ficar por dentro do universo do Homem-Aranha. Vejo você no próximo artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error

Gostou do blog ? Siga-nos nas redes sociais